Neste moderno reconto de “A Bela e a Fera”, Savannah Carmichael, depois de ser traída por uma fonte não confiável, retorna à sua cidade natal, Danvers, Virginia, levando na bagagem uma carreira de jornalismo arruinada. Ao receber a oportunidade de voltar à profissão, escrevendo uma matéria sobre patriotismo, Savannah dirige suas atenções ao eremita da cidade, Ashler Lee, um veterano de guerra ferido, que retornou a Danvers há oito anos e nunca mais foi visto.
Depois de uma explosão no Afeganistão que fê-lo perder a mão e desfigurou metade de seu rosto, Asher passou a viver uma vida tranquila nos arredores de Danvers, onde os moradores respeitam sua privacidade… até que Savannah Carmichael surge, em um vestido de verão emprestado, segurando uma travessa de brownies. Quando Asher concorda em ser entrevistado por ela, começa a sentir-se atraído pela bela repórter, algo que não acontecia há muitos anos.
Sendo dois desajustados naquela pequena cidade, Savannah e Asher criam um laço imediatamente, tocando seus corações de uma forma que nunca imaginaram ser possível. Quando um erro terrível ameaça separá-los, eles terão que decidir se o amor que encontraram nos braços um do outro é forte o suficiente para lutar por seu final feliz.


Os doze momentos mais importantes em qualquer relacionamento são:

1 - A primeira vez em que vocês se veem em meio a um silêncio confortável.
2 - A primeira vez em que você percebe que gosta mais da companhia dele do que de qualquer outra pessoa.
3 - A primeira vez em que você está com uma aparência péssima, e ele não se importa nem um pouco.
4 - A primeira vez em que vocês ficam conversando até o amanhecer.
5 - A primeira vez em que você o leva para conhecer sua família
6 - A primeira vez que você fica nua na frente dele e não sente um pingo de insegurança.
7 - A primeira vez em que percebe que não quer ninguém mais além dele.
8 - A primeira vez em que você planeja um futuro com ele.
9 - A primeira vez em que viajam juntos.
10 - Quando vocês têm a primeira briga explosiva.
11 - A primeira vez em que percebe que ele é seu porto seguro.
12 - A primeira vez que você percebe que ele te ama tanto quanto você o ama.

“De todas as bobagens incríveis que ele já tinha visto as mulheres fazendo ao longo de sua vida, aquela era, sem dúvida, a pior.”
Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?
Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…


Oi gente! O item do desafio de hoje é um: Um romance de época que comprou pela capa! Pois bem, vou responder: NENHUM! Porque na verdade compro todos os romances de época que saem no Brasil. Pode ser exagero, porém só por ser de época está automaticamente na minha lista de leitura e desejados, então, não tinha um livro para indicar sobre capa. A última capa que realmente me fez suspirar foi O príncipe dos canalhas e isso tem mais de ano!  Por isso, espero que me perdoem por indicar esse livro com a capa bem mais ou menos, mas é o que sempre digo: Quem vê capa, não vê coração!

 
Em 'Alguém para amar', Judith McNaught descreve com impressionante vigor e emoção o romance entre uma condessa, Elizabeth Cameron, e um homem de origem misteriosa, Ian Thorton.
Elizabeth foi criada longe dos salões londrinos e não sabia que ligações afetivas e financeiras freqüentemente se entrelaçam em sutis arranjos de interesses. Era ingênua demais para suspeitar do comportamento de Ian, um homem atraente e perigosamente hábil nos jogos sociais. Mas dessa união nasce um amor permeado de intrigas, escândalos e irrefreável sensualidade.

Skoob * Goodreads * Esgotado na Amazon

Oi gente!

Tudo bem com vocês? O próximo item do #DesafioHistóricoseEu concluído foi: Ler um Romance histórico com mais de 500 páginas, e Alguém para amar da autora Judith McNaught tem 558!

Já começo dizendo que esse é o meu livro favorito da vida. Não tem como não ser! Além de cumprir seu papel como romance, a escrita da autora é sensacional. Não consigo por em palavras o que sinto quando leio os livros da Judith!

O amor seria capaz de suportar a maldição do tempo?
Desde o início dos tempos, deuses e imortais foram presenteados com poderes capazes de incitar guerras e vencer os fios do destino. Três irmãos foram fadados aos maiores poderes que a humanidade já havia visto. Seriam seres divinos e indestrutíveis se não fosse a ganância pelo poder.
Com a alma marcada pelo sangue dos condenados, Hades, o deus do submundo, viveu sua vida cercado de escuridão e maldade. Traído por seu irmão, que lhe tirou tudo, até mesmo a única mulher que amou, o príncipe das trevas jurou vingança e a buscou a qualquer custo.
Capaz de fazer o que precisasse, a cada ato de maldade ele manchava ainda mais sua alma para alcançar seu objetivo de destruir Zeus. Cego pelo orgulho, aguardava a chegada de sua mulher que estava a caminho do inferno para libertá-lo. Só que Hades era um homem muito rancoroso para aceitá-la de volta.
Com a ameaça de Cronos pairando sobre suas cabeças, Hades precisará juntar forças para destruir qualquer um que se interpuser em seu caminho.
O segundo livro da trilogia trará uma história de poder, força, amores, mágoas e muita mitologia grega.

Deuses do Submundo será lançado de modo independente pela Amazon no dia 11 de Dezembro!

"Sabes que nunca me apaixonei, maman, mas se porventura o tivesse feito, seria por alguém como ele?"
Cécile Lavigne perdeu todos os que amava e agora está sozinha no mundo. Ela, uma franco-portuguesa que ainda não completou vinte anos, está sendo trazida ao Brasil pelo único parente que lhe restou, o ambicioso tio Euzébio, para casar-se com o mais poderoso dono de terras de Minas Gerais, homem por quem Cécile sente profundo desprezo. Após desembarcar no Rio de Janeiro, Cécile ainda precisará fazer mais uma difícil viagem. O trajeto até Minas Gerais lhe reserva provações e surpresas que ela jamais imaginaria. O explorador Fernão, contratado por seu futuro marido para guiá-la na jornada, despertará nela sentimentos contraditórios de repulsa e de desejo. Antes de enfim consolidar o temido casamento, Cécile descobrirá todos os encantos e perigos que existem nessa nova terra, assim como os que habitam o coração de todos nós. Com o passar dos dias, crescerá dentro dela a coragem para confrontar todas as imposições da sociedade e também o seu próprio destino.

Oi gente!

Me desculpe pela demora para postar o desafio. O item escolhido foi: Ler um romance histórico nacional.

O romance escolhido, é de uma autora mineira por quem tenho enorme admiração. Já tinha lido inúmeros livros dela, mas histórico é a estreia da autora. E que estreia! Marina Carvalho é um dos talentos nacionais mais incríveis que já li. Com uma escrita perfeita, a autora nos leva para Minas Gerais do século XVIII.

Todo mundo sabe que amo romances de época, claro, mas confesso que nunca tinha lido um romance que fosse ambientado no Brasil. Isso foi todo o diferencial para o sucesso da obra. Aqui não encontramos uma Londres em alta temporada e muito menos mocinhas afetadas procurando pelo casamento perfeito, enquanto as mães estão histéricas correndo de lá para cá, em busca do melhor partido para as filhas. Partido esse que deveria ser um nobre inglês, com uma família milenar, com título, posses, bonito, e claro que esses mocinhos não querem casamento, são libertinos, as vezes confuso com o rumo a tomar. Enfim, não! Aqui conhecemos Cécile.