Sinopse: Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente. Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples – e de tão complicado – quanto um beijo. 


Oi gente!!!

Falar dos Bridgertons é muito fácil. Poderia só colocar que a série é perfeita, e é uma ótima entrada para o mundo maravilhoso dos romances históricos. É a família mais engraçada de Londres, e eu sinceramente, se estivesse naquela época gostaria de fazer parte da família. Mas não é só isso, Julia Quinn relata com muita sutileza o contexto social da época.

Falando de um modo grosseiro, ela escreve como era a vida das mulheres do século 19. Como os pais exerciam uma pressão psicológica e até mesmo uma força física e brutal para que as moças casadoiras escolhessem com esmero um marido. Na verdade, o esmero que digo, geralmente seria buscar o marido que ganhasse mais, que pudesse dar uma vida confortável e cheia de futilidades a suas esposas, e que as tornasse o centro das atenções e fizessem inveja as outras mulheres da alta sociedade.  Porém, com a família Bridgerton é diferente. Violet, a mãe Bridgerton, ou a Lady Bridgerton, trata com muito carinho seus filhos, e deixa bem claro que só quer a felicidade deles. Mesmo que ela veja primeiro tudo o que acontece e mexe alguns pauzinhos para que seus filhos escolhas o futuro que sempre “desejaram”.


Hyacinth é a última moça solteira da casa, e aos 22 anos e em sua terceira temporada, sabe que sua situação não é nada boa. Apesar de ter recebido seis propostas de casamento desde a sua apresentação, ninguém foi digno de receber atenção por parte dela.  Ela sabe que não é uma moça fácil de lidar, e os homens daquela época tinham medo que suas mulheres fossem mais inteligentes que eles, e uma mulher esperta e sagaz como Hyacinth, amedrontavam e espantavam todo e qualquer possível pretendente. – O que, diga-se de passagem, ela achava ótimo, porque também não é qualquer homem sonso que ela gostaria como marido!

“Era melhor permanecer solteira do que se acorrentar a alguém que a entediaria a ponto de levá-la às lágrimas. A própria mãe, casamenteira inveterada, não tinha como refutar tal argumento.”


Alguém lembra da Lady Dunbury? Aquela senhora adorável, que todo mundo tinha um carinho enorme??? Rá, pegadinha do malandro!!! Lady Danbury é a senhora doida que conhecemos nos livros anteriores, que não tem papas na língua e colocava para fora o que todo mundo pensa e não tinha coragem de falar. Mas enfim, a doce velhinha, tem um neto, vários alias, mas nesse caso vamos levar em consideração apenas um: Gareth St. Clair.

“Ele sempre a fizera pensar num leão feroz e predador, cheio de uma energia inquieta. Além disso, os cabelos eram de um castanho-dourado, curiosamente pairando entre o castanho-claro e o louro-escuro, e estavam sempre desalinhados. Gareth gostava de desafiar a convenção ao mantê-los longos apenas o bastante para amarrá-los num pequeno rabo, na nuca. Ele era alto, mas não tanto, com a elegância e a força de um atleta e um rosto que não chegava a ser perfeito, mas que era belo.”

Ele é o filho mais novo de um barão, e depois que seu irmão faleceu, ele é o herdeiro do título. Mas Gareth não tem bens, não é realmente um bon vivant, ele estudou com a ajuda da avó, vive uma vida sem luxo e mora em uma casa pequena. Tudo isso porque é desprezado pelo pai, e depois de uma briga, o barão se recusou a voltar a pagar seus estudos. O caso é que St. Clair é aquela velha história: “Eu não tenho carro, não tenho teto, mas se fica comigo é porque gosta!” hahahaha, desculpa!

Voltando ao que interessa... Gareth recebe um diário, de seu irmão já falecido, que pertenceu a sua vó paterna. Esse diário foi especificamente deixado para Gareth, mas além de não entender o que o diário de sua avó Isabella tem a ver com ele, o bendito ainda estava escrito em italiano, e ele não sabia uma palavra sequer!

E quem sabe um pouco de italiano e poderia ajudar? Sim, nossa querida Hyacinth Bridgerton! Ela pega o diário para traduzir, e logo nas primeiras páginas descobre um segredo enorme, que pode mudar a vida de Gareth!!!



Ele não tem interesse nenhum em casamento, por isso ele não incentiva ninguém. Não as visitam em casa, não as acompanham em passeios, não ficam juntos em eventos. Mas com Hyacinth é diferente. Eles ficam o tempo todo juntos, pois conversam sobre o diário, e Gareth se pega apreciando cada vez mais a companhia de Hyacinth, apesar de ela as vezes enlouquece-lo de tanto falar! Ela não cala a boca nunca! 
"– Retribua o meu beijo – murmurou ele, mordiscando-lhe os lábios.
– Eu estou retribuindo – veio a resposta abafada.
Ele se afastou alguns centímetros e disse com um sorriso:
– Vai precisar de uma ou duas aulas. Mas não se preocupe, ficaremos bons nisso."

Eu não posso contar mais nada do livro né? A não ser a parte que os dois se entrosam tanto, que a atração é inevitável! Ver os dois cederem aos seus desejos, e lidando com seus medos, é tão lindo.

Enfim, eu poderia ficar horas e horas descrevendo o livro, mas não é necessário né? 

Em algum momento, tenho certeza que já ouviu que a série os Bridgertons é maravilhosa, e não sou que dirá o contrário! Sou fã dessa autora, sou fã dessa família!


Saiba mais sobre a série: 





Imagens: bechefor79
  Gostaram??? Quem não leu ainda, corre! Tenho certeza que vão se apaixonar por eles!!!!




3 Comentários

  1. Ah! Os Bridgertons é simplesmente perfeito. Minha série favorita de romances históricos. Caro, lendo sua resenha e relembrando minhas passagens favoritas de Um beijo inesquecível. Confesso que Hyancith é minha Bridgerton favorita. Ela me conquistou desde o primeiro livro da série. E aguardei ansiosa por sua história. E ela não me decepcionou. Parabéns Caro! Amando e rindo com suas resenhas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba Manu, ainda bem que gostou!!!! Toda vez que leio Julia Quinn lembro de você!!!!! Te amo!

      Excluir
  2. Ah! Os Bridgertons é simplesmente perfeito. Minha série favorita de romances históricos. Caro, lendo sua resenha e relembrando minhas passagens favoritas de Um beijo inesquecível. Confesso que Hyancith é minha Bridgerton favorita. Ela me conquistou desde o primeiro livro da série. E aguardei ansiosa por sua história. E ela não me decepcionou. Parabéns Caro! Amando e rindo com suas resenhas.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...