Oi gente, tudo bem com vocês?

Eu estou ótima, e muito feliz por ter lido um livro delícia como Entre o Amor e a Vingança. E esse foi meu segundo tópico do #DesafioHistóricoseEu que o Blog Atitude Literária me desafiou: Ler um livro histórico com a temática casamento. Para saber mais, veja o post oficial aqui!



O que um canalha quer, um canalha consegue... Uma década atrás, o marquês de Bourne perdeu tudo o que possuía em uma mesa de jogo e foi expulso do lugar onde vivia com nada além de seu título. Agora, sócio da mais exclusiva casa de jogos de Londres, o frio e cruel Bourne quer vingança e vai fazer o que for preciso para recuperar sua herança, mesmo que para isso tenha que se casar com a perfeita e respeitável Lady Penélope Marbury.
Após um noivado rompido e vários pretendentes decepcionantes, Penélope ficou com pouco interesse em um casamento tranquilo e confortável, e passou a desejar algo mais em sua vida. Sua sorte é que seu novo marido, o marquês de Bourne, pode proporcionar a ela o acesso a um mundo inexplorado de prazeres. Apesar de Bourne ser um príncipe do submundo de Londres, sua intenção é manter Penélope intocada por sua sede de vingança – o que parece ser um desafio cada vez maior, pois a esposa começa a mostrar seus próprios desejos e está disposta a apostar qualquer coisa por eles…
…até mesmo seu coração.


Ai, você que não leu, vai pensar: “Mas é sobre casamento?” Todo mundo sabe que geralmente os livros históricos terminam com um casamento feliz. A mocinha e mocinhos felizes da vida. Mas temos vários livros que o casamento de conveniência faz parte do pano de fundo da história.

E o casamento de conveniência é, sim, a premissa desse livro, junto com a vingança. Aliás, uma coisa é complemento da outra: se não tiver casamento, não tem vingança, e se não tiver vingança, não teria casamento. Mas bora começar do começo!

 Michael Bourne herdou o título de marquês aos 16 anos, e sua vida começou a desmoronar. Aos 21 anos, perdeu tudo! Todas as propriedades, bens, dinheiro, tudo em um jogo de cartas. O cara saiu somente com a roupa do corpo, uma moeda e a promessa de vingança!

Após anos, Bourne é conhecido como um ex nobre, que saiu da sociedade, e se juntou a turma do entretenimento, sendo um dos sócios do cassino, ou casa de jogos, mais famosa de Londres, o Anjo Caído! Todo mundo sabe que Bourne é louco para colocar as mãos nas terras de Falconwell, sua antiga propriedade. E é exatamente o que o pai de Penélope anunciou que colocaria no dote de sua filha. 
“Eu jamais… jamais… irei me casar com alguém como você. Você se esqueceu de tudo o que foi? De tudo o que você poderia ter sido? Parece ter sido criado por lobos.”
Penélope está em sua oitava temporada, e foi vítima de um rompimento de um noivado em sua primeira, e ela virou da mais cobiçada moça, a solteirona que os rapazes procuravam pelo seu dote. Ela sempre disse não a eles. Ela queria mais do que um casamento de conveniência e um noivo interesseiro. Mas quem pareceu? Seu amigo de infância Michael, marquês de Bourne.

Ele a “sequestrou” e intimou: O casamento ou a ruina sua e de sua família! A escolha foi clara para Penélope. Michael não era o mesmo rapaz que conheceu no passado. Esse cara se tornou Bourne, um homem sombrio, atormentado, e querendo vingança de todas as formas, mesmo que nisso, sacrifique a felicidade dela.

Penélope, como todas as mocinhas de época é obrigada a seguir convenções, a fazer escolhas pensando na família, mas mesmo assim, sendo obrigada a um casamento sem amor, sem carinho, sem nada do que sonhava em um casamento, ela ainda via o lado bom da coisa. Ela poderia ter aventura, ela poderia viver.
“Foi parte do nosso acordo. Você me prometeu na noite em que concordei me casar com você. Disse-me que eu poderia ter a vida que quisesse, as aventuras que desejasse. Você me prometeu que me permitiria explorar, que assumir o título maculado de marquesa de Bourne poderia arruinar minha reputação, mas me daria o mundo.”
Tive muita raiva de Bourne e confesso que livros que contém vingança como contexto nunca me agrada, porque sempre todas as partes saem ferida! Não é diferente nesse livro. Ele magoou pessoas, e mesmo fazendo algumas concessões, seu objetivo de vida era fazer o mal. Porém, mesmo com todas essas coisas que poderiam tirar o brilho do livro para mim, foi o que mais me emocionou! Não é fácil deixar suas frustações, mágoas, e ressentimentos para trás, mas com o amor podemos tudo e qualquer coisa!

É tão gostoso de ler, apesar da vingança pairar no ar, o livro é leve e divertido – do jeito que adoro! E a escrita dessa autora é tão fluída, que você não para de ler um minuto apenas. Já tinha lido um romance anterior dela, e posso garantir para amantes dos romances épicos, que ler Sarah Maclean é obrigatório e super satisfatório!!!

Sem contar como é delicioso perceber e ver o amadurecimento e envolvimento dos personagens! Super recomendo!


Todos os livros da série Clube dos canalhas, já foram todos lançados pela Editora Gutenberg. Cada livro tem protagonistas diferentes e devem serem lidos na ordem de publicação, porque pode conter spoilers do casal anterior.


E ai? Topa o desafio? Mês que vez tem mais! Não deixa de acessar o Atitude literária para saber mais novidades!
Beijos e até a próxima!


Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...