Uma noiva desaparecida na véspera de seu casamento. Um poderoso duque acusado de assassinato. Uma noite que mudou duas vidas para sempre. Temple viu seu mundo desmoronar quando acordou completamente nu e desmemoriado em uma cama repleta de sangue. Destituído de seu título e acusado de assassinato, o jovem duque foi banido da sociedade. Doze anos depois, recuperado em sua fortuna e seu poder como um dos sócios do cassino mais famoso de Londres, sua redenção surge quando a única pessoa que poderia provar sua inocência ressurge do mundo dos mortos. Após doze anos desaparecida, Mara Lowe se vê obrigada a reaparecer quando seu irmão perde toda a fortuna da família nas mesas do cassino do homem cuja vida ela arruinou. Temple quer provar a todos que é inocente e, sobretudo, se vingar e destruir a vida daquela mulher, enquanto Mara precisa enfrentar o passado para recuperar seu dinheiro. Assim, os dois formam um acordo obsceno que os une em um jogo de poder e sedução. Mas ambos descobrem que a realidade esconde muito mais do que as aparências revelam e eles se veem em uma encruzilhada na qual precisam escolher entre lavar a honra do passado e garantir o futuro ou ceder ao desejo de se entregarem de vez à irresistível atração que sentem um pelo outro, mas que pode arruiná-los para sempre.


Oi gente, tudo bem com vocês?

Em outras resenhas dos livros dessa série já tinha dito que estava encantada por Sarah Maclean, mas agora é verdade mais que verdadeira.

Já tinha lido por aí que o terceiro livro era o menos legal, fiquei com receio de ler e perder tempo, mas algumas amigas me incentivaram e fui fundo.

Graças a Deus!
Temple é o terceiro sócio do Anjo Caído. Mais um canalha, o cara com fama de assassino. William Harrow, duque Lamont, é conhecido como duque assassino. Nos livros anteriores ficamos sabendo que Temple foi acusado de matar a futura esposa de seu pai, depois de dormir com ela. E a mulher nunca foi encontrada. Temple foi expulso de casa. E nunca mais voltou, mesmo tendo herdado o ducado de Lamont. E foi assim que foi parar no Anjo Caído, onde é conhecido por ser um lutador. O invencível Temple.

Ele nunca foi vencido. Todas as pessoas que perdem suas fortunas no cassino podem desafiar Temple a uma luta e se ganharem, o anjo devolve o que perdeu. Um dos desafiantes da vez é Christopher Lowe, irmão de Mara Lowe, a suposta mulher que Temple teria matado. Christopher perdeu tudo e tenta reaver sua fortuna, mas Temple se nega a essa luta. Ele ainda se sente culpado pela morte de Mara, mesmo não se lembrando de nada. Depois da recusa para lutar, Mara é quem aparece para negociar a dívida de seu irmão.

Puta merda!

Há doze anos, o pobre Temple se culpava pela morte de Mara e quando ela aparece na sua frente e ele só quer uma coisa: VINGANÇA!
““Você não me matou”, ela ergueu o queixo. Tais palavras foram ditas com suavidade, mas com determinação, e estavam embebidas de uma coragem que ele devia ter admirado. De uma coragem que ele devia ter odiado. Ele não a matou. As emoções estavam tomando conta dele, impiedosas e ferozes. Alívio. Fúria. Confusão. E mais uma dezena. Bom Deus. Que diabo tinha acontecido?”
O dinheiro que seu irmão perdeu continha suas economias e todo o dinheiro para sustentar o orfanato que tomava conta. Sem esse dinheiro seus órfãos passariam fome. Por isso quando pensa em se entregar a Temple ou deixar seus meninos passando necessidade, toma a decisão mais difícil de sua vida. Uma decisão que vai mudar sua vida completamente. De novo.


Mara sumiu há doze anos. Há doze anos destruiu a vida de um homem inocente. Mas ela não está arrependida pelo que fez e sim como fez. E agora precisa do perdão do homem que destruiu, mas do que qualquer coisa no mundo.
““E eu deveria supor que você nunca mente?”
Temple a observou demoradamente.
“Eu minto o tempo todo. Sou um canalha do pior tipo.””

Eu já sabia que amaria Temple, ele é o tipo de grandalhão com um coração enorme, e mesmo com sede de vingança, sentia um enorme alívio por não ter matado uma pessoa. Já Mara, que achei que fosse odiar com todas as minhas forças, me surpreendeu. Que mulher forte, destemida e admirável. Fez muitas cagadas na vida, mas aprendeu com seus erros e isso achei notável. A trama inteira me envolveu muito. Ora torcia por Temple, ora por Mara. Sem mencionar que torcia ao mesmo tempo para os dois se acertarem!

Senti raiva de várias atitudes de ambos, aceitei todas as decisões, e com certeza apoiei cada uma delas. O romance é forte. Intenso. Sensual. Provocante.  E uma das coisas mais agradáveis do livro e de toda série na verdade, é o relacionamento dos quatro sócios do cassino. Eles são sócios, parceiros, amigos. São eles que incentivam um ao outro e são eles também que infernizam e aconselham quando necessário. E quando não é necessário também, aliás.

Como é bom terminar um livro e pensar que valeu a pena! Cinco merecidas estrelas.
Entre a ruína e a paixão é o meu livro preferido da série até agora, e só falta mais um para ler, O Misterioso Chase.
“Há momentos que mudam a vida de uma pessoa. E caminhos que chegam sem uma bifurcação na estrada.”
 Todos os livros da Série o Clube dos Canalhas já foram lançados e devem ser lidos na ordem de publicação.


Leia a resenha do primeiro livro AQUI!
Leia a resenha do segundo livro AQUI!

Espero que tenham gostado e até mais!

Beijos!

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...