Oie!

O que a minha irmã não me pede sorrindo que eu não faço chorando? Ahn?
Brincadeiras à parte, sou Thaís, irmã da Caro e colaboradora do codigosete.com e ela me pediu, encarecidamente, para ser colaboradora do Cantinho da Caro e aqui estou eu.
O começo de tudo foi: achar um livro que ela não tenha lido ou resenhado aqui e que eu goste. Não foi fácil!
Mas aí, lembrei-me de um maravilhoso e resolvi (re) ler só para esse cantinho especial.

Sinopse: A agente Cleo Connelly, integrante do corpo de polícia em Nova Orleans, é uma mulher atraente e destemida, que não mede esforços – e impulsos – na resolução dos casos que assume. Certo dia, entretanto, ela é designada para investigar, junto ao FBI, uma lucrativa rede de tráfico humano.
Para cumprir a missão, ela precisará se inserir em um contexto inusitado: visitar a cena BDSM do país e participar das práticas de sodomia e dominação instituídas no torneio Dragões e Masmorras DS. Agindo como agente infiltrada, Cleo terá de pesar os limites de sua própria luxúria nesta implacável caçada, considerando também a arrebatadora atração que sente por Lion Romano, seu parceiro no caso. Mas será que, no meio do caminho, ela vai gostar de ser submissa?
Renda-se aos deleites desta intrigante e sensual narrativa!
Primeiro de tudo, esqueçam tudo que tenham lido sobre BDSM!
Cleo tem uma vida pacata na Rua Tchoupitoulas, agente da polícia de Nova Orleans, suas preocupações são com os bandidos da cidade e o tráfico de drogas. Ela passa a imagem de durona, não cede a encantos baratos e para conquista-la, tem que tirá-la da zona de conforto. E convenhamos, é bem difícil. A porta sempre está fechada.

Sua irmã é agente do FBI e ela tem como objetivo, seguir sua irmã. Elas têm uma ligação incrível e prometeram sempre estar juntas e seguir carreira no FBI. Só tem um porém, Cleo é o próprio furacão Katrina e vê seu sonho, de ser uma agente do FBI, cada vez mais distante.

Até que Lion Romano entra em ação. - Pausa para suspiros. O que é Lion Romano, minha gente?

Lion é o agente responsável por uma missão e orquestra tudo para que ele seja o Amo de Cleo, sem chances de ela negar.

E aí começa o livro.

A trama é extremamente sensual, Lena Valenti aborda o BDSM de forma espetacular, nada de traumas ou via de escape. Acompanhar a entrega de Cleo a Lion, as brigas ácidas, o amor sendo aceito, pois são amigos desde crianças, o beijo, a primeira noite de amor, é tão bom que o tema do livro passa a ser o plano de fundo.

Cleo leva a sério sua nova posição, agente infiltrada em um torneio de BDSM – Dragões e Masmorras DS, mas como o furacão que é, instiga Lion até o limite, ela é a única que consegue isso, mesmo sem a certeza disso, faz com que o Amo King Lion, falhe em suas convicções.

O final do livro é tenso, quando comecei a reler, a cena final vinha a minha cabeça e já queria chorar... de raiva. Ela é necessária, pois é dela que vemos a força de Cleo.

Lion é o Amo que eu pedi a Deus, mas ainda bem que ele não me escuta, não sei se seria tão dócil como Cleo. Hahahhaa.
“Reza a lenda que as almas que se pertenciam estavam destinadas a se submeter uma à outra para encontrarem a verdadeira liberdade.”
Espero que gostem de Amos e Masmorras – A Submissão como eu gosto.

Volto em breve, com Amos e Masmorras – O Torneio.

Um grande beijo.

Deixe um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...